Reprodução

a garota e seu dragão

Provavelmente acabei de bater meu recorde. Foram apenas duas semanas e devorei a primeira parte de “Millenium”.

Tô me coçando aqui para ler o restante, mas digo que Os Homens Que Não Amavam As Mulheres foi bastante satisfatório. Mostrou alguns mistérios e situações que ao seu fim foram solucionados e não da forma mais óbvia imaginável, ao contrário do filme do Fincher, mas falo disto depois.

Não sou uma pessoa ligada em jornalismo econômico, acho que a maioria das pessoas não é, mas deveríamos ser, mas digo que Mikael Blomkvist e, claro, Stieg Larsson conseguiram despertar em mim um tiquinho de curiosidade sobre essa área do jornalismo deixada de lado pela maior parte da população mundial.

Obviamente a função tanto de Larsson e, porque não, do Super-Blomkvist era fazer isto mesmo, instigar, fazer pensar na forma que vemos as pessoas falarem de algo que é tão global quanto economia. Isso traz aquele sentimento de “fui vencido”, já que aqui no Brasil  o assunto anda de mão dada, melhor ainda, de braço enroscado com política, e bom, o sentimento de  frustração acompanha a desesperança.

Anyway, o livro vai além do conformismo, afinal, investigador conformado é um pé no saco e não vende. E este obviamente não é o caso.

Dê o play para ouvir a versão que Trent Reznor e Atticus mandaram para o clássico do Led Zeppelin, Immigrant Song, que encabeça a trilha sonora do filme norte americano. Os vocais, incríveis por sinal, são de Karen O do Yeah Yeah Yeahs.

Um comentário sobre “a garota e seu dragão

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s