curtindo a vida adoidado

A primeira vez que assisti a Curtindo A Vida Adoidadofoi em Sessão da Tarde, quando eu tinha sete anos. Acho bem engraçado como certas coisas que a gente nunca se esquece. E tenho que dizer que com este filme foi amor a primeira vista. Desde então já o vi trilhões de vezes. Ele fez parte de minha infância, pois foi um dos filmes que eu e meu irmão gravamos em uma fita VHS e adorávamos ver noite após noite antes de dormir.

Reprodução

Para quem não é tão louco por filmes quanto eu, não lembra direito deste clássico dos anos 80 ou então viveu em uma bolha durante 20 anos, Ferris é apenas mais um estudante que prestes a se formar no colegial, não resiste a dias bonitos e bola planos quase que mirabolantes para cabular um dia de aula. Com um “jeitinho brasileiro” somado aos conhecimentos tecnológicos de um adolescente norte-americano ele eleva a a encenação de fingir uma doença para não ir ao colégio a um nível de arte.

Além de manipular os pais de forma majestosa, ele ainda usa sua fértil imaginação para livrar seus “entes queridos”, isto é , sua namorada e seu melhor amigo, da tortura escolar para que se juntem a ele.

Reprodução

Seu melhor amigo é Cameron Frye, um sujeito cheio de patologias imaginárias, causadas pela falta de atenção dos pais e que parece ter medo da própria sombra. Já a namorada de Ferris é Sloane, uma garota tranquila, que embarca em seus planos sem problema e sonha casar com ele.

Reprodução
Reprodução

Para que suas armações sejam bem sucedidas Ferris inventa mecanismos com roldanas, usa de fitas com roncos gravados, passa trotes, se fantasia e o que tudo mais que for necessário, fazendo da tarefa de se livrar dos livros tão divertida quanto a liberdade em si.

Reprodução

Munido de idéias inusitadas, um pouco de dinheiro e uma Ferrari, ele sai do subúrbio para aproveitar o dia na cidade. Com direito a passeio no museu, almoço em restaurante francês chique, nadar na piscina alheia… mas nada se compara a cena na qual Ferris se “infiltra” em um desfile de rua e canta Beatles. Momento antológico do cinema dos anos 80.

ReproduçãoReprodução

Apesar de adorar o filme e seu anti-herói, meu lado certinho me faz torcer um tanto por Jeanie, a irmã de Ferris. Concordo que cabular aula em um dia maravilhoso é uma delícia, mas e a justiça neste mundo? Não adianta negar para mim mesma que rola uma certa identificação com Jeanie, afinal como eu ela é uma garota temperamental, que faz tudo certo e nunca recebe louros. Sou uma pessoa tão inconformada quanto ela, mas a coisa acaba aí.  O problema de Jeanie é que ela não cuida de sua própria vida, assistindo as aprontações de Ferris de camarote faz com que seja uma das poucas pessoas que enxerga “o verdadeiro Ferris”. O que ele faz, como contorna adversidades e ainda  consegue sair ovacionado, o que a incomoda terrívelmente. Isto faz com que a missão dela seja desmascara-lo durante o filme inteiro.

Reprodução

Outra pessoa que também quer a cabeça do garoto é o diretor do colégio, Mr. Rooney. Assim como Jeanie, Rooney está mais que ciente das coisas que Ferris apronta, e tem como missão pessoal pega-lo no flagra e fazer com que ele reprove, e faça pela segunda vez o último ano do colegial.
(spoiler alert)

Reprodução

Além da parte do desfile, uma das minhas cenas favoritas é a final, na qual Jeanie após passar o dia inteiro questionando suas motivações e odiando o irmão, aparece e o salva.

No fim, apesar de toda a diversão e emoção, a mensagem do filme é bem simples: Carpe Diem. Desde Sociedade dos Poetas Mortos a expressão virou cliché, mas ela prova uma coisa, há mais de 20 anos o mundo tem ido pelo buraco, o stress vem crescendo e dominando tudo e o profeta Ferris já dizia, “a vida passa muito rápido demais, e se você não parar de vez em quando para vivê-la, acabar perdendo seu tempo”.

Reprodução

Curtindo A Vida Adoidado [Ferris Bueller’s Day Off, 1986]

Diretor: John Hughes
Roteiro: John Hughes

Elenco:
Matthew Broderick – Ferris Bueller
Alan Ruck – Cameron Frye
Mia Sara – Sloane Peterson
Jeffrey Jones – Ed Rooney
Jennifer Grey – Jeanie Bueller
Edie McClurg – Grace, the Secretary
Charlie Sheen – Boy in Police Station

    CURIOSIDADES

– John Hughes escreveu o script do filme em seis dias

– O filme foi batizado em homenagem a um grande amigo de John Hughes, Bert Bueller

– Em 2006 Curtindo A Vida Adoidado foi votado o #10 na lista dos 50 Melhores Filmes de Colegial pela Entertainment Weekly

Reprodução

– Os atores John Cusack, Jim Carrey, Johnny Depp, Tom Cruise, Robert Downey Jr. e Michael J. Fox foram pensados para o papel de Ferris Bueller. Eric Stoltz fez uma audição para o papel de Ferris

– Atrizes como Ellen Barkin, Kim Basinger, Jamie Lee Curtis, Geena Davis, Carrie Fisher, Melanie Griffith, Linda Hamilton, Daryl Hannah, Anjelica Huston, Jessica Lange, Julia Louis-Dreyfus, Michelle Pfeiffer, Cybill Shepherd, Meg Tilly, Sigourney Weaver e Debra Winger foram pensadas para o papel de Jeanie

– Anthony Michael Hall recusou o papel de Cameron para evitar ser estereotipado, outro que recusou o papel foi Emilio Estevez

– O comediante John Candy fez um teste para Cameron Frye, mas produtores não o aceitaram por sentir que ele era velho demais para o papel. O escolhido foi Alan Ruck, que na época tinha 29 anos

Reprodução

– Ben Stein, que interpreta o professor de economia, se formou na Universidade de Columbia em 1966 com louvor em economia

– Apesar de terem interpretado irmãos após o filme Matthew Broderick e Jennifer Grey ficaram noivos

– Cindy Pickett e Lyman Ward, que fazem os pais de Ferris se casaram na vida real depois de gravarem o longa-metragem

– Charlie Sheen foi recomendado por Jennifer Grey após os dois terem filmados Red Dawn (1984) e para conseguir o efeito lesado necessário em sua cena na delegacia, se manteve acordado por mais de 48 horas antes de filmar sua participação

Reprodução

– A Ferrari GT250 1961 do pai do Cameron não era verdadeira, já que na época alugar uma Ferrari de verdade saia muito caro. Assim foram construídas três réplicas em fibra de vidro. Além disto o carro foi levemente modificado, o que fez com que os produtores do filme recebessem diversas cartas mal-educadas de amantes de carros, que acreditavam que se tratava de uma Ferrari verdadeira que realmente tinha sido destruída

– As imagens do desfile foram (cena de “Twist And Shout”) registradas durante a parada anual Von Steuben Day que acontece em Chicago

– Durante a parada, pessoas que não tinha nada a ver com o filme,como os operários na construção e os lavadores das janelas estavam dançando. Hughes achou aquilo tão espontâneo e divertido que pediu que os câmeras gravassem tudo

– A coreografia da cena na escada durante a parada foi tirada do vídeo de “Thriller”, do Michael Jackson

– A maioria das placas dos carros usados no longa são abreviações de filmes feitos por Hughes. Katie’s = VCTN (National Lampoon’s Vacation, 1983); Jeannie’s = TBC (The Breakfast Club, 1985); Tom’s = MMOM (Mr. Mom, 1983); Rooney’s = 4FBDO (Ferris Bueller’s Day Off, 1986). A exceção foi a placa da Ferrari, NRVOUS = nervous (nervoso)

– A fala que Ferris diz no banheiro do restaurante francês sobre a casa de Cameron ser muito bonita e fria, originalmente era para ser dita por Allison (Ally Sheedy) no filme O Clube dos 5 (The Breakfast Club, 1985) sobre sua vida em casa

– Originalmente, Ferris deveria dizer em um programa de rádio que antes de morrer ele gostaria de pilotar uma nave espacial, mas devido ao acidente com a Challenger a cena foi cortada do filme

– A cena dos créditos, quando Rooney entra no ônibus também foi cortada do filme. Ela deveria aparecer logo depois de Jeanie anunciar que havia chamado a polícia, e Roonie deveria encontrar no veículo um lugar para se esconder. Isto explica o fato de ainda ser dia e o porque o ônibus estar levando estudantes para casa as seis da tarde

– Diversas referências aos Beatles são feitas no filme: a mais óbvia é o playback de Ferris de “Twist And Shout”. Além disso Ferris ainda cita a musica “God”, de John Lennon (“I don’t believe in Beatles, I just believe in me.”), e a camiseta do Detroit Red Wings do Cameron é uma homenagem a Paul McCartney and Wings, assim como a sua Epiphone Texan acoustic guitar (que Paul tocou em “Yesterday”)

Anúncios

10 comentários sobre “curtindo a vida adoidado

  1. Thais disse:

    Meu…eu acho q num vi esse filme…rsrs…mas é bem normal…pra quem nunca viu O guarda costas inteiro ainda….rsrsrs…mas fora isso…eu amo filmes..rsrs

    • paulinha mihuda disse:

      Concordo plenamente punkito!
      E quer saber mais uma curiosidade sobre o filme? John Hughes nao quis montar a trilha e vender, porque achou que as musicas que usou no filme eram muito discrepantes e ninguem iria comprar um disco com esta selecao. Vai entender, ne?

  2. Flá disse:

    Ah, que texto fofo!! Um dos filmes da minha vida também, com certeza – sem falar no quanto eu amo a cena do restaurante, quando Ferris se faz passar por “Abe Froman, o Rei da Salsicha de Chicago”.

    Acabei de comprar o DVD pra um menino que fará 12 anos. Achei que seria um serviço social a prestar. ;-]

    Beijo, Paulinha!

    • paulinha mihuda disse:

      A cara dele de Abe Froman, o Rei da Salsicha de Chicago eh impagavel, ne Fla? hahaha
      To pensando seriamente em me dar de natal o filme, vai depender de quanto vai sabir a conta dos outros presentes da Internet.
      E espero que o menino se divirta tanto quanto eu ao ver o filme, de fato acho que todo mundo deveria assistir!
      beijinhos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s