por Paula M. Higa

nothing sweet about me

por Paula M. Higa

A primeira vez que ouvi a música que tá lá no final do texto foi no ano passado na MTV e, obviamente, o que mais me chamou nela foi o verso do refrão e nome da própria. Por diversas vezes, idas e voltas do trabalho, ou momentos de reflexão nos quais me senti alterada por conta de alguma situação, pensava em escrever este post. Pois como o povo lá de casa sabe bem, “there’s nothing sweet about me”.

Não estou mais na fase adolescente de me revoltar toda a vez que alguém vem me taxar de a bonitinha ou qualquer-coisinha de um grupo (essa era a razão pela qual demorei tanto a aceitar e ter orgulho de acrescentar o inha em meu nome), mas… porque na vida sempre existe um mas… não é algo com o qual me identifico ou sinto totalmente avontade. Pelo menos em certa parcela. Na verdade, porque acho que ninguém gosta de ser limitado apenas uma coisa, espelcialmente se aquilo seja no diminutivo. Ok, admito minha sindrome de inferioridade, mas fazer o que? É uma coisa que vem de berço. E bota berço nisso.

Nascida sem nome, porque todos achavam que eu seria um menino, fiquei assim por alguns dias. Após firmado Paula no cartório, veio o primeiro apelido.  Você pensou em Pa ou Paulinha? Bom, a minha mãe não. Segundo ela, na fase na qual eu deveria ser uma lindinha, meu primeiro apelido foi rãzinha. Triste anunciar isto aqui, mas é a vida. Segundo ela eu era tão pequena e magrinha, que parecia mais um saquinho de ossos.

E a genética não me favoreceu quanto a isso. Arrastei pela vida a posição número 2 de “a mais baixinha da classe” durante bons anos da minha vida. Se você está pensando, mas tamanho não importa. Bom, espero que não seja um homem… porque essa dúvida típicamente masculina, pode sim ser usada em outros “casos”. E importa sim, se um dia você sonhou em ser modelo, como eu. Bom, não foi um sonho daqueles que se leva pela vida. Provavelmente nasceu a partir do momento em que Top Model começou a passar na televisão. E acho que acabou após o final de Sex Appeal. Fazer o que se sou uma pessoa para quem a televisão tem importância diária?

Anyway… em minha grande “carreira” de bela garota… fiz comerciais (porque meu pai precisava de extras para as propagandas da agência na qual trabalhava), atuei (em peças da escola, cruzes), até cantei (claro que no coral da formatura) e no final ganhei até título de miss (esse que levo com carinho e orgulho verdadeiros para o resto da vida). Mas isso tudo ainda não mostram meu lado verdadeiramente negro. Não… São só algumas das coisas “futéis” da vida que a gente faz para alimentar parte da alma não tão nobre, como muitos podem vir a pensar. Coisa que discordo, mas vamos la…

Acredite, sou uma pessoa ruim. Confira as provas disso:

Prova 1:

Quando pequena adorava passar o pente nos pézinhos descalços da Maria, quando ela tinha pouco mais de dois anos. E me matava de rir com a gargalhada maravilhosa dela. Saudades daquela época.

ezgif.com-crop (2)

Prova 2:

Ainda criança em um momento de raiva, porque meu irmão teimava em jogar as pernas das minhas Barbies para o cachorro como se fossem osso, resolvi me vingar. Pequei um dos Comandos em Ação dele, um verde que a especialidade era se camuflar na floresta e joguei ele pela janela. Ele caiu no meio do mato que se formava no jardim. O que eu não sabia, era que aquele dia o jardineiro iria aparar a grama. Isto é, o Comando foi esquartejado.

gi-joe-explosion

 

Prova 3:

E há não muito tempo atrás tive a brilhante idéia (sugerida pelo Vídeos Mais Engraçados do Animal Planet) de aspirar o gato para tirar a poeira dele. Porque é muito mais divertido do que limpar o quarto, não é mesmo? Pois a Maria me ajudou a colocar isso em prática. Mas Pedro, o gato, aparentemente não assistiu ao programa, porque se assustou com o barulho do aspirador e resolveu fugir a qualquer custo do aparelho. Resultado, um rasgo no bracinho fofo da Maria que quase fez minha mãe desmaiar.

ezgif.com-crop

Como pode ver,  there’s nothing sweet about me… yeahhh!

Gabrielle Cilmi – “Sweet About Me”

letra | 

3 comentários sobre “nothing sweet about me

  1. Vanessa disse:

    Huahuahuahuahuaua!!! O do comandos em ação foi otimo!!!
    Então, nunca fiz coisas evil, porque sempre tive um super ego infeliz que me infernizava com a culpa eterna e que buscava a auto – punição…. enfim…
    Posts assim são legais p/ eu te conhecer melhor, tipos, eu não tinha ideia dos comerciais ou que vc tentou aspirar seu gato!!

    Beijo!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s