Reprodução

why so serious?

darkknight

Como falei em momentos anteriores, sou a ovelha negra da minha família… Por alguma razão nunca me apeguei muito aos elementos nerdísticos que presentea em casa e minha história com quadrinhos ficou mesmo só no nível Turma da Mônica. Mas como algo genético, meu irmão possui o amor que minha mãe tinha por HQs como Batman, Super Man e assim por diante.

Tudo o que sei sobre heróis e suas histórias consegui por osmose, simplesmente de ouvir o que meu irmão falar sobre, ou de assistir desenhos… Nunca tive um preferido, mas tenho certa simpatia por alguns como Wolverine, Tempestade e claro a VAMPIRA (X-Men), Queda-Livre (Gen-13), mas nada além disso.
Mesmo assim sempre acabo assistindo os filmes lançados e com o novo Batman não podia ser diferente, né?

Batman: O Cavaleiro das TrevasBatman: The Dark Knight, 2008)
Direção: Christopher Nolan
Roteiro: Christopher Nolan

Elenco:
Christian Bale … Bruce Wayne / Batman
Heath Ledger … Coringa
Aaron Eckhart … Harvey Dent / Duas-Caras
Michael Caine … Alfred
Maggie Gyllenhaal … Rachel Dawes
Gary Oldman … Gordon
Morgan Freeman … Lucius Fox

A notícia da morte do Heath Ledger chocou. Não só por ele ter entrado na minha gigantesca lista de pretendentes em 99, quando eu tinha só 16 anos e assisti 10 Coisas Que Odeio Em Você, no cinema com o Dani. Mas também porque tudo ainda parece estranho demais. E achei que ao sentar no cinema iria cair no choro, mas como o próprio Dani falou, eu não chorei.

Batman: The Dark Knight é incrívelmente intenso. Intenso e tenso. Tenso e denso, mesmo sendo um filme de ação de Hollywood, com mocinho e bandido. Mesmo sendo uma adaptação de história em quadrinhos para o cinema. Onde Gotham, a cidade sombria foi trazida para o mundo atual. As bogigangas do Batman, características do personagem por mais absurdas, parecem plausíveis… já que temos que levar em conta o fato de que o Cavaleiro das Trevas não usa armas de fogo e nem mata pessoas.


btdk_rachel

Tudo se encaixa de maneira perfeita… algo como os americanos adoram dizer… A PERFECT FIT. Desde a direção, produção e obviamente a escalação do elenco. Mesmo sendo o segundo filme de Chris Nolan como diretor e Christian Bale como Bruce Wayne / Batman, não parece uma seqüência pelo fato de tudo estar bem melhor. A partir do momento em que tiraram Kate “atriz água com açucar/mulher do Tom Cruise/mãe da Suri” Holmes do papel da paixão de Bruce, Rachel Dawes, e colocaram Maggie Gyllenhaal (fazer o que, sou fã da família… desde que vi Donnie Darko, se não acredita… assista) tudo entrou nos eixos. Quase-ignoraram o chato do Espantalho e o Coringa tem o espaço merecido, devido sua importância nas histórias.

O “problema” é que com tudo sendo perfeito a idéia de fazerem um novo filme vai por água a baixo. Primeiro porque cada acerto de Hollywood é seguido de seqüências medíocres ou pior ainda pobres de alma, como pelo fato de que o sr. Ledger faleceu, levando consigo provavelmente o melhor Coringa que o mundo já viu e verá, falando com todo o respeito à Jack Nicholson. Tirando o papel de um limbo que pendia entre engraçado e ambicioso, o novo Joker se mostra uma pessoa realmente perturbada. Nada como Tonho da Lua ou alguém que ouve vozes, e sim uma mente que tende a ser brilhante no auge de seu desequilíbrio, que consegue provocar à todos ao seu redor sem que sintam a manipulação.

comissario

Sendo um personagem que depende muito do visual, este que vai além de roupa, cabelo e maquiagem. Heath acertou em cheio, em tudo. Desde a postura, forma de andar, tom de voz, tiques nervosos e claro na gargalhada – ponto alto do Coringa, principal armadilha do personagem – na qual ele se saiu perfeito.

Como disse no início, não chorei. Não tive tempo, mesmo com o filme durando 2h30min, e as coisas acontecendo com um ritmo bom, sem ser frenético ou lenga-lenga. Não tive tempo, porque todos brilham, cada um no momento certo, da forma certa… seja Ledger, que está genial, mas não chega a roubar o filme para si só, porque tudo se encaixa e cada um tem na tela seu tempo merecido e necessário.

alfred

Michael Caine, melhor Alfred de todos os tempos, que leva a relação entre ele e Bruce além da camaradagem serviçal, sendo um amigo/confidente/conselheiro/pai.

Gary Oldman, O Verdadeiro Comissário Gordon. Um homem da lei que usa de todos os artifícios possíveis para combater o crescimento da Máfia sobre Gotham, e acha em Batman a força necessária para continuar sua luta.

Aaron Eckhart, bela transição de Harvey Dent à Duas Caras… provando que mesmo se tendo bom coração, sendo integro a “situação faz o ladrão”. Ser humano responde de maneiras diferentes à situações e a linha entre “bem” e “mal” é mais delicada do que as pessoas costumam pensar.

Melhor frase do filme:
“I believe whatever doesn’t kill you simply makes you… stranger.”
– The Joker

joker

3 comentários sobre “why so serious?

  1. Vanessa disse:

    Sou suspeita a falar! Simplesmente amei o filme! Estava esperando p/ ve-lo fazia tempo já, e não me decepcionei nem um pouco!! Ledger estava MARAVILHOSO!!! Tanto que deu um odio dele, não pelo personagem, mas por ele ter sido burro e acabado com a vida dakele jeito… Um talento perdido infelizmente…humfpt…

  2. leah disse:

    Adorei seu comentário sobre o filme. Concordo em “gênero, número e grau” ! TB sou apaixonada por HQ até hoje!, principalmente do Batman. Assisto tudo dele, leio tudo… Só não consegui fazer como sua mãe, passar essa paixão para meus filhos.

    Paulinha: Nao desanime, porque uma hora ou outra ela aparece, por minima que seja. Acho que eh algo que esta no DNA… pelo menos eh o que eu vejo em casa! ;)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s